• Sem categoria
  • 0

VOCÊ É CASADO(A)? VEJA ISSO! (REALIDADE DE MUITOS CASAMENTOS)

Assista até o final e você vai entender porque esta história é a realidade de muitos casamentos!

Muitos estão casados e se esquecem de que são os pequenos detalhes que contam em um casamento. Não é a casa, o carro, as propriedades, o dinheiro no banco, etc. Estes bens criam um ambiente propício à felicidade do casal, mas não proporcionam mais do que conforto. Portanto, encontre tempo para ser amigo de sua esposa; faça pequenas coisas um ao outro para mantê-los próximos e íntimos, e vocês ficarão casados para sempre!

Se você não compartilhar essa história com quem é casado, nada vai te acontecer. Mas se escolher enviar para alguém, talvez salve um casamento. Muitas pessoas casadas que estão pensando em se divorciar, geralmente não percebem que podem restaurar um casamento ao invés de desistir.

Se você gostou desta história “Você é casado?” clique em CURTIR e inscreva-se no meu canal.

Mensagem do vídeo:

Naquela noite, enquanto a minha esposa servia o jantar, eu me preparei para ter uma conversa séria com ela: “Eu tenho algo importante pra te dizer.” Pude ver o sofrimento em seus olhos. Eu tinha que dizer a ela o que estava pensando. “Eu quero a separação. Acabou!” Ela não parecia irritada pelas palavras e simplesmente perguntou em voz baixa: “Por que?” Eu evitei responder, o que a deixou muito brava. “Você não é homem?” Naquela noite nós não conversamos mais. Pude ouví-la chorando. Eu sabia que ela queria um motivo para o fim do nosso casamento, mas eu não tinha uma resposta satisfatória pra essa pergunta. O meu coração não pertencia a ela mais, e sim a Jane. E simplesmente, eu não a amava mais. Sentia pena dela. Sentindo-me culpado, rascunhei um acordo de divórcio, deixando para ela a casa, nosso carro e 30% das ações da minha empresa. Ela tomou o papel da minha mão e rasgou violentamente. A mulher com quem eu vivi pelos 10 anos se tornou uma estranha pra mim. No dia seguinte eu cheguei em casa tarde e a encontrei sentada à mesa escrevendo. Eu não jantei. Fui direto pra cama e dormi imediatamente pois estava cansado depois de ter passado o dia com a Jane. Quando acordei no meio da noite, ela ainda estava sentada à mesa escrevendo. Eu a ignorei e voltei a dormir. Na manhã seguinte ela me apresentou suas condições. Ela não queria nada meu, mas pediu 1 mês de prazo para conceder o divórcio. Ela pediu que durante os próximos 30 dias a gente tentasse viver juntos de forma mais natural o possível. As suas razões eram simples: o nosso filho faria seus exames no próximo mês e precisava de um ambiente propício para preparar-se bem, sem os problemas de ter que lidar com o rompimento de seus pais. Isso me pareceu razoável, mas ela acrescentou algo: ela me lembrou do momento em que eu a carreguei para dentro da nossa casa no dia em que nos casamos, e me pediu que durante os próximos 30 dias eu a carregasse pra fora de casa todas as manhãs. Eu então percebi que ela estava completamente louca, mas aceitei a sua proposta pra não tornar os meus próximos dias ainda mais intoleráveis. Eu contei pra Jane sobre o pedido da minha esposa: “30 dias porque, primeiro que ela falou do nosso filho que tem exame pra fazer e depois me pediu pra carregá-la do quarto pra sala e da sala pra fora de casa. Eu não entendi.” “Carregar no colo? Sabe o que ela quer? Ela quer fazer uma gracinha, chamar atenção, deixar você com peso na consciência. Ela deveria cair na real e ver que você não quer mais nada com ela. Te dar um divórcio logo! Isso facilitaria as coisas…” E ela riu muito, achou a ideia totalmente absurda. Minha esposa e eu já não tínhamos contato físico há algum tempo, então quando eu carreguei para fora de casa no primeiro dia, foi totalmente estranho. Nosso filho nos aplaudiu dizendo: “Nossa, pai! Pegando minha mãe no colo!” Eu devo ter caminhado uns 10 metros carregando minha esposa no colo. “Não conta sobre o nosso filho do divórcio”. Eu balancei a cabeça, mesmo desconcertado… Então a coloquei no chão assim que atravessamos a porta da entrada da casa. Ela foi pegar o ônibus para o trabalho e eu fui para o escritório. O segundo dia foi mais fácil pra nós dois. Ela se apoiou no meu peito, eu senti o cheiro do perfume que ela usava. Eu então percebi que há muito tempo não prestava atenção nessa mulher. Ela certamente havia envelhecido nesses 10 anos, tinha rugas no seu rosto. Por um segundo, cheguei a pensar no que havia feito para ela estar nesse estado…

➜ Meu Facebook – http://www.fb.com/pastorantoniojunior

➜ Meu site – http://www.pastorantoniojunior.com.br

➜ Meu livro – http://www.momentocomdeus.com.br


#casamentos #casado #divorciar #casamento #vocêécasado

Compartilhar

Você pode gostar...